terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Leituras nas Férias

Olá galera!!!
Continuo de férias (pelo menos até o dia 28 de fevereiro) e agora estou na praia curtindo o verão com minha família (se bem que não gosto de praia, exposição ao sol não me atrai, por isso que nunca ninguém vai me ver  na praia sem camiseta. Prefiro o sítio da vovó Donalda, lá tem "sombra e água fresquinha"). O que me faz feliz mesmo, de verdade, não é a praia ou  outro lugar qualquer, e sim estar com minha família reunida e feliz, embaixo do sol forte numa praia aqui do sul, ou no frio e neve dos Estados Unidos ou Europa ou em qualquer lugar deste enorme planeta. 
Ando comprando muitos quadrinhos Disney nestas férias e também lendo e relendo muitas histórias. Uma destas histórias saiu na edição do Pato Donald #1996. Eu já possuo essa revista na coleção, mas ao ver num sebo essa edição não me contive e comprei.
Esta edição do Pato Donald # 1996, foi lançada em novembro de 1992 (bem na época em que minha vida profissional deu uma "guinada" e vim parar na cidade onde moro até agora).
Curiosidade:
No começo dos anos 90 a inflação "galopante e assustadora" assolava o país e surgiu então uma novidade na venda das revistas principalmente da editora Abril. Os preços não eram mais impressos nas capas das revistas e sim um código como esse que você vê nesta capa acima. para conferir o preço o comprador devia pedir a tabela ao jornaleiro, e na tabela eram encontrados todos os códigos das revistas e seus respectivos preços.
Nesta primeira postagem durante minhas férias de verão eu estreio aqui no blog minha HP Photosmart que já está funcionando a pleno vapor e consigo assim scanear imagens das minhas revistas para melhor ilustrar meus textos (O mais engraçado foi chegar na praia e ver a cara de espanto dos meus familiares quando tirei do carro não uma prancha de surf e sim aquela caixa com a HP rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrssr)
A história que apresento hoje chama-se...
Título original: Super Snooper Strikes Again, tem roteiro e desenhos de Don Rosa e foi lançada em vários países além do Brasil, entre eles Estados Unidos, Alemanha e França.
A história começa com Donald dando uma "dura" nos sobrinhos por "perderem tempo" lendo HQs de super heróis. (eu já penso que ganho tempo lendo HQ e além disso me divirto muito). Mas vamos em frente com nossa história.
É lógico que os sobrinhos não gostam nem um pouco da atitude do tio e um deles o humilha insinuando que ele é um grande perdedor.
Donald segue o seu caminho pensando em tudo o que ouviu de um dos meninos e desejando ao mesmo tempo ser o herói dos seus sobrinhos.
Donald, resolve então ingerir um liquido que pode dar a força de um cavalo a um pequeno ratinho, o liquido encontrasse em fase de testes, e ele como mensageiro está levando para um laboratório da cidade.
Donald bebe o liquido e logo percebe que está diferente e muito, muito forte e veloz.
Donald chega em casa com a auto estima elevada a décima potência. Ele está exalando auto confiança, coragem, determinação e blá, blá, blá... etc, etc, etc...
Os meninos preferem o tio na cama e de preferência dormindo, pois conhecem o potencial de destruição de Donald, e sabem que  o tio costuma "armar" as maiores confusões e aí não fica  pedra sobre pedra.
Os sobrinhos não sabem o que pensar e acham que o tio está meio "pinel".
Donald também está meio "perdido" não sabe bem o que fazer para provar aos meninos que agora ele é um "super", com força e rapidez "sobre-humanos". 
Donald  se baseia nos quadrinhos que os sobrinhos colecionam e leem para ir delineando suas ações e assim executar tarefas que ele mesmo se auto impõe e que os sobrinhos não percebem.
Mas com o Donald... nem sempre acontece da melhor forma.
Em grande velocidade Donald retorna até sua casa onde estão Huguinho, Zézinho e Luisinho e diz a eles que trazer uma montanha até Patópolis não deu certo e que eles escolham agora qual a proeza que ele deve realizar. Os meninos como não veem nada concreto do que o tio fala, acham que na verdade Donald está inventado tudo para chamar a atenção e ter o seu reconhecimento, pedem então ao tio que vá para a cama.
Donald irritado diz que vai mostrar sua força nem que seja a última coisa que vai fazer e sai novamente a procura de algo grandioso para mostrar sua força inimaginável.
O escolhido é um velho navio afundado há muitos anos na baía de Patópolis
Mais uma vez o nosso velho, querido e desastrado Donald não consegue executar o quê se propôs.
Donald acaba tentando levar "meio" navio para mostrar aos meninos a sua força, e nesse momento ele percebe que o efeito do líquido que tomou começa a passar e ele vai perdendo suas forças. O navio ou (a metade dele) está prestes a cair em cima da casa do próprio Donald, os meninos estão correndo risco de morte. Num esforço supremo Donald ainda consegue enviar para longe os restos do navio e cai no telhado desmaiado.
Os meninos o levam para a cama.
E assim, depois de todos esses acontecimentos, tudo volta ao normal na vida do Donald.
Despedido pelo Tio Patinhas.
Esnobado pelo primo Gastão.
Mas nunca em tempo algum, nenhum deles será tão grande e tão amado pelos leitores Disney quanto o nosso inigualável, primeiro e único...
...Pato Donald.
Posso voltar a qualquer momento amigos,  até breve.
Fonte: Edição do Pato Donald #1996 (acervo pessoal), imagens Universo Disney e Inducks Brasil.

12 comentários:

Paulo Gibi disse...

Olá Ludy, curtindo as ferias... que legal, descanse bem amigo, estaremos aguardando a sua volta. Enquanto isso vamos lendo muitos gibis Disney. Abs.

Ludy disse...

Obrigado Paulo. Valeu mesmo.
Em breve estaremos na área novamente. Até mais.

FabianoCaldeira. disse...

Olá, Ludy! Que bom ver postagens novas no Universo Disney. Que férias gostosas, hein!!!!
Legal essas revistas que compramos nessas lojas, né? Tem cada história muito bacana e essa que você colocou é bem legal, o pato querendo a admiração dos sobrinhos (que são como se fossem seus filhos) e não mede esforços para isso. Vemos como é importante a carga sentimental na estrutura de um ser humano, sentirmos queridos pelos nossos próximos é algo que não tem preço e faz toda a diferença na história de nossa vida. Só podia ter o dedo do Don Rosa aí, hein!? Ele é bom nessa coisa de família e sentimentos.
Vou te mandar um e-mail daqui a pouco, depois você confere lá.
Abraços. FabianoCaldeira.

LEO disse...

Essa história parece excelente mesmo....

e reparem como o Rosa é um discípulo à altura do Barks mesmo... pois até as leis da física ele respeita nos gibis:

nos gibis de heróis (marvel/dc) é comum os caras levantarem navios ou objetos desse porte sem q aconteça nada a eles. Qdo na verdade o certo é eles se partirem ao meio.

são detalhes q fazem a diferença.... e demonstrar um certo respeito pelas leis da física em gibis (mesmo sendo eles fantasiosos) tbm é demonstrar respeito pela inteligência do leitor.

não é a toa q os gibis Disney (especialmente na fase barks) são considerados + plausíveis q os de super-heróis: conforme o livro "A CIÊNCIA DOS SUPER-HERÓIS" (q compara os gibis disney com os de heróis).

Macgaren disse...

Primeiramente dizer que faz tempo que não sei o que são Férias...e que também detesto o Sol (e qualquer coisa relacionada a ele)

Sobre a história eu comprei essa edição uns meses atrás em uma de minhas idas ao sebo. Engraçado como desde essa época já líamos histórias do Don Rosa mesmo que nem fizéssemos idéia disso não?
Abraços e continue curtindo suas merecidas férias.

Ludy disse...

E aí Fabiano tudo beleza amigo. Tu falou tudo cara o Don Rosa é muito bom nessas histórias em que a família pato está envolvida emocionalmente em tramas bem articuladas e bem desenhadas. Eu sou um grande fã do Rosa.

Ludy disse...

Tudo certo Leo. obrigado por visitar o blog e deixar o seu comentário, principalmente por saber que você não é de deixar comentários. Eu também acho que a inteligência do leitor não pode ser ultrajada e ignorada. O Siegel por exemplo era aquele tipo de roteirista que mandava pra longe a física e fazia seus personagens cometerem as maiores atrocidades, tá aí o Superhomem que não me deixa mentir rrsrsrsrsrsrsrs.
Esse livro que você cita deve ser muito interessante vou procurar saber mais sobre ele.
Abração leo e obrigado pelo comentário. Até breve.

Ludy disse...

Salve Mac, nada de férias para você cara, mas isso não é legal. A gente precisa dar uma parada vez ou outra pra recuperar o corpo e a mente. O ócio é bem vindo e ajuda a criar.
Você também não curte o sol? Eu quero ele longe de mim e da minha pele rsrsrsr.
O Don Rosa realmente é um daqueles caras que não dá pra ignorar. Eu voltei aos quadrinhos Disney depois que li a saga do Tio Patinhas em formatinho. Fiquei tão curioso pra saber quem era Don Rosa e que histórias dele já haviam saido no Brasil que comecei a comprar quadrinhos Disney sem parar e não parei mais de adquirir HQs Disney.
Abração e obrigado por me desejar boas férias. Até breve.

D@nil.B disse...

U.u, não sabia que tem filho... Que boas férias, hein? Também não curto praia, nem quentura, por isso gosto mais é de ficar em casa nas férias, curtindo meu ventiladorzinho.
Sou um grande fã de Don Rosa também, pois, como disseste, ele cria histórias bem envolventes com relações emocionais e aventurescas da família pato, além de que o traço dele é o mais realista e rebuscado que já vi (por isso gosto tanto). Tenho um espaço reservado do meu quarto com todos os gibis em que aparecem as HQs dele reunidas, para eu ter uma fácil localização delas. Ainda não completei esta mini-coleção, mas com perserverança e sorte irei conseguir!
Aliás você esqueceu de mencionar que a HQ O Verdadeiro Super Herói é uma das famosas continuações de histórias de Barks, que Rosa tanto se especializou. A HQ em questão é SuperDonald, e o roteiro é bem parecido com a releitura de Don Rosa, mas eu gostei muito mais do final de Rosa do que o de Barks.

Ludy disse...

Tudo beleza D@nil.B. Sim amigo tenho um filhote de 2 anos e 7 meses chamado leonardo, e sabe que ele já curte os personagens Disney, ele vive grudado num boneco em miniatura do Mickey que eu dei pra ele e inventa histórias imaginárias com a turma da casa do Mickey, ele cria várias histórias envolvendo o Pateta, o Pluto, a Minnie, o Donald etc.

Eu também sou um grande fã do Rosa e já tenho praticamente todo o material dele que saiu no Brasil, talvez falte uma ou outra revista mas a história eu acabo encontrando em edições que já possuo.
Eu também deixei na minha estante umlugar reservado só pras obras feitas pelo Don Rosa.

Você tem toda a razão deixei passar essa informação alias eu nem sequer lembrava disso. Obrigado por sempre visitar o Universo Disney amigo D@nil.B.

D@nil.B disse...

Eu é que agradeço, Ludy, por sempre ler e responder os meus comentários!
Aliás, foi assim que Don Rosa começou a pensar em ser quadrinista, desenhava alguns personagens e inventava histórias deles! Bote fé neste menino! ;)

pablo gabriel disse...

Don rosa desenha muito bem.Pena que hoje em dia no brasil temos que pagar 12 reais(ou Mais)para ver uma história deste grande Roteirista e ilunstrador

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails