sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Histórias do Pato Donald - Um Grande Hotel ( The Resort Hotel - 1980)

Pato Donald #1835 março de 1989
Hoje eu apresento mais uma história do Pato Donald em mais uma dessas edições antigas que adquiri nessas férias, (que por sinal ainda estão rolando - que ótimo).
A história que eu trago hoje saiu aqui no Brasil uma única vez, no Pato Donald #1835 de março de 1989.
O título da história é: "Um Grande Hotel" (The Resort Hotel no original inglês). 
A trama é do dinamarquês Werner Wejp-Olsen, roteiro do americano Ton Anderson e desenhos do ótimo Victor José Arriagada Ríos mais conhecido como Vicar de nacionalidade chilena. 
Esta história foi criada em junho de 1979 e sua primeira publicação aconteceu um ano depois em 25 de junho de 1980 na Suécia na revista Kalle Anka & C:o No. 1980-26 cinco dias depois saiu na Dinamarca e em seguida na Alemanha.
Donald e os sobrinhos cuidando de um hotel de luxo do Tio Patinhas e o velho muquirana investindo alto em equipamentos eletrônicos. Uma história verdadeiramente surreal.
Em primeiro lugar o Patinhas já mais coloca o Donald em algo realmente bom, ele costuma colocar o Donald em verdadeiras "roubadas" e em segundo lugar Patinhas jamais esbanja no que quer que seja principalmente em uma parafernália eletrônica cara e dispendiosa.
Sala de ginástica cheia de equipamentos sofisticados e caros e a cozinha com o que há de mais moderno.
Tudo está correndo, bem os primeiros hóspedes chegam ao Grande Hotel
O serviço é de primeira graças a parafernália que o Patinhas mandou implantar em seu hotel. Tudo é feito por máquinas (será que o Pardal passou por lá?)
Mas todas essas máquinas precisam de energia para continuarem funcionando a pleno vapor. O que pode acontecer se uma catástrofe natural acabar com a eletricidade?
É meu amigo, a situação está começando a ficar complicada no Grande Hotel do velho muquirana.
Note que temos somente um casal de hóspedes no hotel e para quem está lendo a história eles começam a se transformar em simpáticos coadjuvantes.
Essas pessoas da história assim como muitos casais "modernos", já não dialogam mais, a televisão assumiu o papel principal no Teatro dos Vampiros, sugando a energia  e entregando de volta a solidão e a imbecilidade.
Com a falta de energia no hotel, tudo começa a mudar, pelo menos para esses dois hóspedes. Num determinado momento da história os dois dizem a Donald que pela primeira vez não brigaram por causa do canal de tevê e que conversaram muito e que agora gostariam também de se exercitar.
A sala de ginástica do hotel também depende da eletricidade. Um dos meninos dá uma ideia ao casal. Que tal se fossem fazer um passeio de bicicleta.
Os hóspedes "adotam" a ideia e saem a pedalar pelas redondezas  e se encantam com a natureza, árvores, borboletas, pássaros, esquilos e o belo céu azul.  
O simpático casal colhe amoras para depois do almoço e ainda ajudam Donald e os sobrinhos a pescar com uma rede improvisada. Sentam na grama e fazem uma gostosa refeição  
No dia seguinte o telefone volta a funcionar e o nosso hóspede muito feliz pede a Donald o telefone pra poder ligar para a sua agência de viagens e recomendar o hotel para todos os seus clientes.
Tio Patinhas resolve visitar Donald e os sobrinhos no hotel para saber como as coisas estão indo e o que vê o deixa totalmente surpreso.
Um final feliz para uma história que tinha tudo para dar errado.
Fiz questão de trazer essa historinha de dez páginas pelo inusitado dos acontecimentos.
O Tio Patinhas esbanjando em bugigangas eletrônicas.
O Pato Donald se dando muito bem no final de uma história o que é um tanto raro de acontecer.
Hóspedes de um hotel totalmente satisfeitos, embora com todas os problemas que tiveram que passar,  ainda recomendam o hotel para outras pessoas.
Uma história despretensiosa, mas que deixa uma lição de vida: da adversidade podemos tirar proveito e ensinamentos e até virarmos o jogo, se formos inteligentes e atentos aos sinais.  Ou como diz o meu amigo Fabiano Caldeira do blog Socializando usando um ditado popular... "fazer do limão uma limonada"
Os quadrinhos Disney também podem nos apresentar belas oportunidades de repensar atitudes e modos de encarar a vida, basta estarmos abertos e dispostos a ler nas entrelinhas.


Fonte: Edição Pato Donald #1835 (acervo pessoal), imagens do Universo Disney, texto sobre autores e datas de publicação inducks.

3 comentários:

FabianoCaldeira. disse...

Olá, meu amigo! Que legal ler histórias em que o Donald se sai bem! Eu gosto muito!
E, no caso dessa aí, é como diz o ditado:

"Faça do limão uma limonada!"

Delíciaaa!

Abraços. FabianoCaldeira.

Ludy disse...

E aí Fabiano tudo beleza cara?
Eu também gosto quando o Donald se dá bem, talvez por eu ter um carinho enorme por ele, que eu torço sempre que ele se saia bem. É claro que situações em que ele leva a pior costumam gerar ótimas gags, realmente boas piadas surgem quando o Donald entra pelo cano rsrsrs.

Abração cara, até breve e obrigado por ser assíduo no blog.

Anônimo disse...

Amo o pato Donald!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

...

!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails