sábado, 27 de março de 2010

O Incrível Esquálidus

Esquálidus (Eega Beeva, no original em inglês) é um humano do futuro, personagem da Disney, amigo de Mickey Mouse.
Esquálidus não tem sombra, fala na língua do pê e pode viajar no tempo.
Esquálidus tem um saiote que pode armazenar qualquer coisa, de qualquer tamanho. Esquálidus também tem alergia a dinheiro.
Infelizmente, este herói tão incomum desapareceu do cenário das bancas de jornal em fins dos anos 70, depois de ter frequentado as páginas de várias revistas como as saudosas "Almanaque Disney" e "Disney Especial".
Esquálidus apareceu pela primeira vez numa aventura dos anos 50 em que Mickey se perde numa caverna na qual acaba encontrando este estranho ser e esta no hoje raro de encontrar Disney Especial # 6 que por sinal nunca foi reeditado no Brasil. Os mais novos não devem conhecê-lo, mas eu me lembro muito bem dele como se fosse hoje. Foi a sua feiura que chamou a minha atenção. O nome Esquálidus diz algo para você? Em caso afirmativo, pode estar certo de que está ficando velho, meu amigo. O lado bom é que envelhecer de maneira saudável e com um passado lindo destes dentro de nós é a melhor coisa do mundo. Voltando ao tema deste texto.
Foi Esquálidus que chamou os Super-Heróis Disney para integrarem o grupo conhecido como Ultra Heróis. Esse grupo lutou contra os Bad-7, vilões chefiados pelo Professor Gavião.
Pflip é o cão de Esquálidus. Embora seja normalmente rosa, pode mudar de cor para vermelho para alertar quando há perigo próximo. Pflip é definido como uma mistura de cachorro, gato, hipopótamo, unicórnio, lhama e coelho.

Personagem: Esquálidus
Nome Original: Eega Beeva
Criador: Floyd Gottfredson, com roteiros de Bill Wash
Origem: 1947
Estréia:
The man of tomorrow, história de 30 (82 tiras) páginas publicada nos jornais dos estados Unidos em 1947.
No Brasil, essa história foi publicada em quatro partes, nas revistas o Pato Donald #22 a 25 (intitulada “Aventuras de Esquálidus”), de 1952. Foi republicada em Mickey #23 e Disney Especial #6
História do personagem:
Esquálidus foi criado nos estúdios Walt Disney dos Estados Unidos, aparecendo nas tiras de jornais do país, entre 1947 e 1950.

Na década de 50 o personagem começou a aparecer em sessões e capas produzidas pelos estúdios brasileiros. Por exemplo, aparece como professor na seção “No princípio foi assim...”, dentro das revistas O Pato Donald #43 e #44.
A primeira historia propriamente dita com ele criada aqui foi Papai Noel por Acaso (O Pato Donald #424, de 1959), primeira história de Jorge Kato e primeira história da Disney produzida no Brasil. Foi um mero coadjuvante na história, tendo sua estréia como um dos personagens principais em O Invento de Esquálidus (Disney Especial #19, de 1975).

Os estúdios italianos iniciaram suas historias com o personagem em 1949 com L’inferno de Topolino (inédita no Brasil), uma sátira de Inferno, de Dante Alighieri. O roteiro foi de Guido Martina e os desenhos de Ângelo Bioletto. A segunda história, primeira produzida no país na qual o personagem é realmente destaque, é Topolino e il doppio segreto di Macchia Nera, de 1995, também inédita no Brasil.

Na Itália, França e Brasil, o personagem de Gottfredson foi extremamente adorado, ocasionando centenas de histórias em cada um desses países sobre o mesmo.

Um fato curioso aqui no Brasil ocorreu na década de 50, quando a página de cartas da revista O Pato Donald foi um local de intensas discussões sobre o personagem após um fã pedir que não publicassem mais suas histórias. Diante disso, a revista publicou uma sessão, em seu número 76, denominada “O Caso Esquálidus”.
As primeiras histórias do Esqualidus, de Gottfredson, quando foram publicadas no Brasil receberam o nome de As aventuras de Esquálidus ou O Menino Prodígio. Assim, foram intituladas dessa formas as histórias (entre parênteses a primeira publicação no Brasil): The man of tomorrow, Mickey makes a killing (O Pato Donald #25 a #28), Pflip the thnuckle-booh (O Pato Donald #28 e #29), The Santa Claus bandit (O Pato Donald #29 a #32), The kumcast question(O Pato Donald #32 e #33), The atombrella and the rhyming man (O Pato Donald #33 a #42) e And education for Eega Beeva (Pato Donald #42 a #44)

Características marcantes:
Esquálidus não é um ser que veio de outro planeta, como muitos pensam. Ele é da Terra, mas do centro da Terra, tendo vindo de outra época também (2447).

Nas primeiras historias, o personagem se apresentava calado, soltando apenas um “eega” Logo se nota outras características que o fazem especial: forte e telecinético, quando fala coloca um P na frente da maioria das palavras e consegue tirar as mais diversas coisas de seu bolso, que mais parece o saco de presentes de papai Noel.
A dieta de Esquálidus também é bastante interessante: dinheiro, botões, metal. Após olhares desconfiados de Pateta e Pluto, o pequenino consegue conquistá-los, assim como o público, que o trata como um dos mais legais personagens do mundo Disney.
Revistas:
Embora tenha chegado às bancas, em outubro de 1975, a Edição Extra #67, especial do personagem, os fãs de Esquálidus se deliciam mesmo é com Disney Especial #6Os inesquecíveis, no qual ele é um dos grandes destaques. A edição contempla suas já citadas seis primeiras histórias, criadas nos Estados Unidos em 1947 e 1948.

A Edição Extra #67 conta com sua sétima história (originalmente An Education for Eega Beeva, de 1948) e outras aventuras interessantes, como Esquálidus encontra João Bafo de Onça e Esquálidus contra o Conde Cordeiro.
Histórias marcantes:
As aventuras de Esquálidus (The man of tomorrow, 1947) - Esqualidus encontra Mickey pela primeira vez quando este vai se esconder de uma tempestade em uma caverna. Mickey então o convida a visitar sua casa e logo viram amigos. Só há um problema: Pateta passa a achar que Esquálidus não é real, pois não tem sombra nem reflexo.
As aventuras de Esquálidus (Mickey makes a killing, 1947/1948) – Nas 36 tiras diárias que compõem a história, Esquálidus, prevendo a variação das ações, torna Mickey milionário. No Brasil, essa história foi publicada em quatro partes, nas revistas O Pato Donald #25 a #28. Foi republicada em Disney Especial #6 .
Mickey e Pateta na Cidade do Esquálidus (Topolino nel mondo di Eta Beta, 1981) – Mickey viaja 500 anos para o futuro, até a cidade de Esquálidus. No Brasil, foi publicada em Mickey #364, Disney Especial #115 e Mickey 75 anos.

O tesouro de Domba (The mook treasure) – Outra grande história de Gottfredson, envolvendo Mickey e João Bafo de Onça em busca de um tesouro ao redor do mundo. Composta de 138 tiras diárias publicadas originalmente em 1950, a história foi publicada no Brasil em O Pato Donald #78 a #85.
Personagens correlatos:
Vovô Esquálidus – Aparece em duas histórias brasileiras: O estranho mundo de Esquálidus (Mickey #285, de 1976) e De volta ao mundo de Esquálidus (Mickey #316, de 1979). Na primeira história conhecemos também a tia de Esquálidus, Marocas, seus sobrinhos Teco e Tuca e seu tio Bonifácio, além de sua noiva. Na segunda história nos deparamos com o Juiz Armandinho, que vive na distante casa do baixinho.

Pflip (Pflip the Thnuckle-Booh) – É o “cachorrinho” companheiro inseparável de Esquálidus. Estréia em Mickey makes a killing.

Em Pflip’s strange Power (Esquálidus encontra João Bafo de Onça), Pflip sofre de uma doença chamada Pzizosis, que o dá o poder de fazer as pessoas falarem a verdade.

Pflip, na verdade, é um Thnuckle-Booh (Gangarona em italiano), mistura de cachorro, gato, hipopótamo, unicórnio, lhama e coelho.

Na já citada história italiana Topolino e il doppio segreto di Macchia Nera aparece pela única vez Pflip 2, que é rosa, mas a depender do perigo que possa estar próximo a seu dono, muda de cor e até mesmo pode virar um ponto de interrogação.

Conde Cordeiro – Participou das histórias The syndicate of crime, de 1949, publicada no Brasil como Esquálidus contra o Conde Cordeiro (O Pato Donald #72 a #78, republicada em Edição Extra #67) e A volta do Conde Cordeiro, história nacional de Ivan Saidenberg, apresentada em Mickey #300, de 1977.

Curiosidades
- A revista Aventuras Disney #28 homenageou os 60 anos do personagem, com a história “O lanche fora-da-lei
- A mesma revista publicou antes de ser extinta a série Ultra-Heróis (edições #40 a #43), grupo que é liderado por Esquálidus. Essa “liga dos super-herois”, composta também por Mickey, Superpato, Superpata, Superpateta, Morcego Vermelho, Quatro-folhas (Gastão) e Ganso de Aço (Gansolino), enfrenta um grupo de vilões liderado pelo prof. Gavião.
- O nome completo de Esquálidus na verdade é Pittisborum Psercy Pystachi Pseter Psersimmon Plummer-Pusch. Mickey, ao saber, decide chamá-lo apenas de Eega Beeva.

Pra mim que coleciono revistas Disney e leio essas histórias mágicas, fazer um post sobre Esquálidus foi como se tivesse ligado uma máquina do tempo interna, e que funciona a revelia do que quero e do que penso, e me transportou bem lá pra minha infância. Tive oportunidade de reler minha edição do Disney Especial número 6 e mergulhar na história do Mickey encontrando o Esquálidus numa caverna. E aí vivendo uma grande aventura. Eu vivi essa aventura junto com o Mickey e adorei "reencontrar" o Esquálidus.
Fonte: Wikipédia, Inducks Brasil, EsquiloScan e diversos Sites Disney na Rede para captação de imagens.

7 comentários:

Paulo Gibi disse...

Ludy, o Esquálidus é um personagem diferenciado, que remete os leitores à outra dimensão: viagens no tempo, um mundo onde os pensamentos se materializam e onde diamantes são resíduos jogados no lixo. Esquálidus é honesto, amigo e prestativo. Ele nos mostra um mundo diferente, onde o dinheiro não tem tanta importância, mas sim a família, os amigos e a justiça. Esse post me fez viajar também, aos meus 07 anos e minhas primeiras moedas investidas em quadrinhos. Esse "Os Inesquecíveis" realmente é bem difícil de achar (estou de olho), parabéns por você ter o seu, cuide bem e não se separe dele por nada, nem ninguém. Esquálidus é um dos meus personagens favoritos, e deveria ser mais frequente nas histórias do Mickey. Valeu Ludy pelo post, me ajudou a matar um pouco a saudade desse personagem. Abraço. Paulo Augusto.

Ludy disse...

Obrigado pelo comentário amigo Paulo. Eu vou ficar de olhos abertos nos sebos se eu souber de alguma edição do Disney Especial número 6 eu aviso você em caráter de urgência ok.Eu também gosto do Esquálidus.

Elias disse...

Caro Ludy, sou colecionador de revistinhas da Disney e tenho procurado por aquelas com o personagem Esquálidus especialmente a DE nr.6, por ter também outros personagens que queria rever, mas não tenho sido bem-sucedido. Sabe onde posso adquirir? Meu Email: raield@hotmail.com
Elias.

Anônimo disse...

Acho que estou fora da validade...... Adorei rever esse personagem tão interessante que muito me inspirou. Obrigado.

Anônimo disse...

Elias, meu irmão é proprietário de uma revistaria de HQ, contata com ele que, se ele não tiver esse exemplar, derrepente pode te dar alguma dica de como conseguir. Segue o e-mail ediejunior@bol.com.br

nightrider disse...

Nossa,parece que voltei a ser criança vendo a história do Esquálidus!Pensei que só eu lembrava dele!Nossa,quase chorei de emoção ao relembrar!
Parabéns pelo maravilhoso teabalho!Um dos blogs mais humanos e nostálgicos que já vi!Senão o melhor!
Passei minha infância e parte da adolescência viajando nas páginas dos HQs da Disney!
Sempre sonhei em encontrar a história "A Monstruosa Máquina Paulo Bunian"!Será ela minha inspiração por ter sido,durante um tempo, lenhador?rsrsrs
Ainda possuo alguns exemplares que não saem da minha mão de jeito nenhum!



Abraços
Vanderlei

Loki-sama disse...

Que saudade! Tenho 30 anos. Li uma história com o Esquálidus em 1990 num gibi velho que tomei emprestado e ele me veio à mente agora, mais de 20 anos depois, não sei por quê.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails