domingo, 10 de abril de 2011

Epic Mickey: Um “Épico” Visual... mas Sem-sal

Amigos do Universo Disney. Hoje estreia aqui no blog como resenhista, o meu amigo Leo Radd. Muitos já o conhecem da Comunidade Quadrinhos Disney do Orkut, e também mais recentemente do Projeto Inducks, na qual colabora, sempre com suas opiniões embasadas em suas leituras de HQs Disney e experiências em áreas como Marvel e DC Comics e quadrinhos adultos. 

O Leo é o tipo do cara que não lê só quadrinhos. Ele também adora livros, tanto que os coleciona, principalmente no formato pocket. O Leo mora em Porto Alegre, capital do nosso lindo estado. Estamos distantes mais ou menos uns cento e alguns quilômetros (ou alguns segundos voando se você for o Superpateta!!!). Não nos conhecemos pessoalmente, mas aos poucos estamos construindo uma amizade bacana, baseada em respeito pela opinião do outro e principalmente pelas afinidades que temos em relação a muitas coisas relacionadas a quadrinhos e literatura.
Você vai perceber, que o Leo não é do tipo que faz gênero, e nem escreve coisas para agradar quem quer que seja. Ele simplesmente dá a sua opinião, doa a quem doer (se agradar melhor, mas não pense  que ele está preocupado com isso!). Um cara de personalidade forte, sincero e de opiniões bem claras e pragmáticas sem frescura ou "embromations". 
Com vocês... Leo Radd e sua opinião sobre a edição Epic Mickey.
Epic Mickey publicada pela editora Abril em março de 2011
Muita expectativa se gerou em torno de Epic Mickey... mas será que valeu a pena? Será que o especial atendeu as expectativas de quem esperava um verdadeiro “épico”???
A trama é muito previsível (só é novidade pra quem nunca leu um gibi de super-herói na vida... onde os caras brigam no começo, depois fazem as pazes e se unem contra uma ameaça em comum - ou seja: o clichê máximo do gênero)!!!
O final de Epic Mickey é tão previsível... que desde a primeira página já se sabe como a história vai terminar. 
Não há surpresa nenhuma durante a "trama" toda.... e o final é só a "cereja do bolo" numa salada de clichês bastante previsível!!!
Mas não dava pra esperar muito do Peter David mesmo....(foto ao lado) esse escritor depois de uns 15 anos escrevendo o Hulk... se limitava apenas a mudar a personalidade ou características do personagem (fazendo o Hulk ficar inteligente, mau, líder de equipe, sem poderes, e até mafioso, rs): sinais claros de que é um escritor bastante limitado.
Um bom roteirista conseguiria e saberia escrever uma trama mais interessante sem cair em finais previsíveis e fórmulas manjadas e já bastante desgastadas pelo tempo....
Só que o Peter Davidlonge de ser um bom roteirista... por isso se limitou a fazer o arroz-com-feijão básico que sempre fez (e só durou 15 anos escrevendo Hulk, porque o público que lê Hulk geralmente se contenta com pouco: no fundo só querem ver o Hulk dando PORRADA mesmo – é um tipo de público pouco exigente, mesmo dentro do próprio universo de super-heróis).
Já escritores mais competentes do naipe de Alan Moore, Garth Ennis, e Warren Ellis (pra ficar entre escritores do gênero super-heróis e material adulto)... que estão num patamar MUITO ACIMA do Peter David: certamente fariam uma história muito melhor com um final no mínimo surpreendente e sem ofender a inteligência do leitor.
Talvez a história não terminasse com um mero aperto de mãos “forçado” entre os  dois personagens que até poucas páginas estavam se confrontando e de uma forma rápida demais resolvem virar “irmãos” (pra quem guardava tanto rancor, até que o coelho superou a mágoa rapidinho, hein)?
Se esse gibi realmente conseguir divertir alguém.... acredito que seja mais pelo seu visual (que eu reconheço ser muito bonito) e pelas homenagens que faz à Era de Ouro dos quadrinhosuma época que realmente deixou muitas saudades.....
E talvez esse seja o maior - ou único - mérito desse gibi: prestar uma homenagem à Era de Ouro (período dos quadrinhos que foi dos anos 30 até 40 - e que terminou durante a 2º Guerra Mundial)!!!
Até mais. Leo Radd.
***********************************************
O Leo pode voltar com mais textos legais, (críticas, resenhas, histórias de revistas que leu) a qualquer momento aqui no Universo Disney.
Na segunda feira, a estreia de outro amigo que vai trazer seus saborosos textos aqui pro blog.

Fonte: Texto de Leo Radd (colaborador e resenhista  do Universo Disney)

10 comentários:

Pablo Gabriel disse...

Belo texto

Pablo Gabriel disse...

Epic Mickey saiu em fevereiro e não em março

Ludy disse...

Pablo obrigado por visitar o blog. Você cometeu um equívoco. O Epic Mickey foi publicado em março. Na segunda quinzena de março. Procure o Inducks e verifique essa informação e tire suas dúvidas.

Matheu$ Guarany disse...

Parabéns pela "aquisição" Ludy! O Leo é um cara muito bacana, e seus textos são muito bons (como este escrito logo acima). Com certeza vai enriquecer as informações das pelo Universo Disney.

Abração

Matheus

sergiokid disse...

Bom texto do Léo, que escreve muito bem. Mas eu discordo sobre a culpa do roteirista nesse caso. ora, a história do jogo é essa, não?

Macgaren disse...

Concordo com a opinião da história ser mais fraca que macarrão molhado mas discordo de culpar exclusivamente o Peter David. Ele apenas seguiu a história do jogo. não dava pra criar nada diferente. ele praticamente só organizou os fatos em um roteiro.A culpa é dos roteiristas do jogo(a não ser que o David seja um dele) mas no mais, belo texto e parabéns ao Ludy pela "contratação" do Leo.

FabianoCaldeira. disse...

Boa tarde! É muito bom ler mais coisas a respeito de Epic Mickey. Eu não tenho o hábito de ler histórias de super-herois, deve ser por isso que a revista me emocionou bastante - o que soou clichê para alguns, foi muito emocionante para mim.

Espero que o Léo apareça mais vezes no Universo Disney porque, embora temos pontos de vista diferentes, gosto da forma clara e sincera com a qual ele se expressa... e uma opinião diferente também é muito boa, desde que nenhum de nós tente impor a sua como uma verdade suprema.

Espero ver mais textos do Léo.

Abraços. FabianoCaldeira.

Pablo Gabriel disse...

Desculpe pelo equívoco Ludy

Mas não acha que já e tarde pra falar de Epic Mickey ?

Paulo Gibi disse...

Oi Ludy, parabéns pela chegada do Léo, para o blog Universo Disney. Quanto ao texto do amigo Léo, penso diferente dele. Adorei e me emocionei com Epic Mickey. O mundo é belo porque é variado. É normal que as opiniões sejam variadas. Não espero perfeição dos personagens ou das publicações. Geralmente, me contento com apenas um bom desempenho. Como no caso desse excelente gibi Epic Mickey. É um privilégio ter esse gibi publicado no Brasil, antes de EUA e Europa. Abs. Paulo

LEO disse...

Ae, galera... obrigado a todos pela receptividade e pelos comentários!!!
e agradeço tbm ao convite do Ludy pra participar deste Blog (já q particularmente não tenho um blog, e fiquei mto feliz com o convite pra participar deste)!!!
Só queria ressaltar...
Q sobre o gibi ter seguido a trama do jogo... não acho q fosse necessário seguir à risca a história do game:
O cinema não seguiu exatamente a mesma história dos jogos q adaptou pras telas... e já tivemos ótimos filmes baseados em games (Mortal Kombat, Resident Evil, Silent Hill, Max Payne, etc)!!!
Sem falar no excepcional anime “Street Fighter II”... q alterou o destino de alguns persoangens do jogo (inclusive até matando personagens famosos)!!!
Assim... o gibi podia (a meu ver) ter seguido sua própria história... talvez até aproveitando a deixa pra incorporar o coelho ao universo tradicional (sei lá)!!!
A culpa q eu vejo no Peter David... é pelo fato dele sequer ter fugido um pouquinho q fosse das fórmulas manjadas dos “crossovers” entre personagens: até mesmo ele podia ter feito melhor, já q li algumas boas histórias dele no passado (“Futuro Imperfeito” – uma saga do Hulk - é sua obra-prima, e é mto boa mesmo)!!!
Mas enfim... o q tá feito, tá feito, rs!!!
Abração, pessoal!!!
PS: e retornarei em breve com um texto sobre os CLD...
Até+

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails