sábado, 21 de agosto de 2010

O Rio de Ouro - The Golden River - 1958. O Melhor da Disney #13

O Rio de Ouro é mais uma daquelas histórias que "devorei" lá no final dos anos 70. Uma história que me fez pensar sobre se eu realmente gostava do velho Patinhas ou abandonava esse senhor para sempre. É mas pelo jeito continuei apaixonado pelo velho Pão-duro. 
Na Edição #13 de O Melhor da Disney na página 34, encontramos detalhes dessa HQ. Segundo informações dessa edição, O Rio de Ouro é baseado em um conto que Barks conheceu quando era estudante numa escola pública na área rural no estado do Oregon. "O Rei do Rio de Ouro" (The King of The Golden River), foi escrito pelo crítico de arte britânico John Ruskin para entreter Effie Gray, sua futura esposa. O livro foi publicado em 1850, três anos após o casamento de Ruskin.

Curiosidade: Carl Barks concebeu inicialmente o O Rio de Ouro com 27 páginas. Mas antes de apresentá-la aos editores, cortou por conta própria os quadros 1 a 4 e 6 a8 da página 51, bem como os dois primeiros da página 52. Foi assim com 26 páginas, que a aventura circulou até então no Brasil. No Almanaque Disney#341, de julho/agosto de 2001, ainda está assim. A versão de O Melhor da Disney #13 resgata do cesto de lixo de Barks e traz as sequências suprimidas anteriormente.
Vamos agora conhecer mais essa aventura do Tio Patinhas, Donald e os trigêmeos Huguinho,Zézinho e Luisinho.
O Tio Patinhas está muito chateado e  preocupado. O  nível de dinheiro do seu depósito baixou 60 centimetros, por conta da estação das chuvas, depois que o tempo abre e vem o calor isso  faz com que as notas encolham e consequentemente diminui o volume na Caixa-Forte.
O velho pato fica muito preocupado com essa situação e porque não dizer neurótico também, achando que poderá ficar pobre a qualquer momento pois seu depósito agora tem somente...35 metros de altura abarrotados de dinheiro.
Patinhas passa a cobrar de seus colaboradores que poupem e economizem tudo, bebam menos água, usem os papeis dos dois lados e até mesmo escrevam nas margens para poupar mais e procurem errar menos para não precisarem usar tanto lápis e borracha. Em resumo o pato está "crazy".
Os sobrinhos não sabem o que está acontecendo na Caixa-Forte e estão indo até lá pedir uma contribuição ao tio.
Opa... acho que não é uma boa hora para Donald e os sobrinhos pedirem dinheiro ao velho pato.
Patinhas maltrata os sobrinhos e os expulsa da Caixa-Forte de uma forma muito dura e rude. Depois disso Donald tenta vários artificios para voltar até o tio e conseguir o dinheiro (miseras cinco patacas), para o fundo do clube dos escoteiros-mirins do qual os sobrinhos são membros. Os sobrinhos então tem uma ideia para ajudar Patinhas, e conseguir cinco patacas para o clube. Huguinho, Zézinho e Luisinho dizem ao tio que sabem o que fazer para o nível da Caixa-Forte voltar ao normal.  Eles cobram uma taxa de cinco patacas pela ideia.
Pedem para Patinhas instalar um cano da caldeira até o depósito para conduzir o vapor. E dá certo o vapor incha a grana e o nível volta ao normal como num passe de mágica, mas os sobrinhos avisam ao tio para ter cuidado e desligar a caldeira para o dinheiro não inchar demais e não causar uma catástrofe no depósito. Enquanto isso Donald continua com suas artimanhas para tirar as cinco patacas do tio e se dá mal mais uma vez. 
 Patinhas esqueceu de desligar o vapor e a caixa incha tanto que literalmente explode.
O sovina acorda num leito de hospital cercado pelos sobrinhos.
O médico diz a Donald e aos sobrinhos que levem o tio deles a um lugar calmo, nas montanhas para que ele possa repousar e se recuperar.
Patinhas então é levado pras montanhas. Mas os sobrinhos percebem que ele está muito chateado (e eles ainda precisam daquelas cinco patacas para o clube) e fazem de tudo para agradar o velho ranzinza, que é um osso duro de roer. Um dos meninos resolve então contar uma história para o velho tio. A história é sobre um povo de um vale parecido com aquele em que eles estão, e o nome da história é: O Rei do Rio de ouro.
Conforme um dos meninos vai contando a história Patinhas vai percebendo possibilidades de ganhar mais dinheiro e ficar mais rico.


O Rei do Rio do Ouro era um gnomo e o menino da história caiu nas suas graças.
O gnomo contou ao garoto da história, como ir a uma cascata e, com um truque mágico, fazer a queda dágua virar ouro puro. O menino devia lançar uma água mágica na cascata, mas sendo generoso, deu toda a água a viajantes sedentos que encontrou no caminho.
O Rei estava apenas testando o rapaz e, como recompensa por sua generosidade, ele deu o rio de ouro ao menino. Nessa altura o Tio Patinhas debocha e diz que "esse é o mal dos contos de fadas". O velho rabugento continua: "Eles falam coisas impossíveis, na vida real, ser generoso é o meio mais rápido de falir".
Logo depois disso ao avistar a cascata eles percebem que um fenômeno está acontecendo, a cascata está jorrando ouro. Mas o ouro desaparece sem deixar pistas. Patinhas então sai a procura e depois de muitas decepções com a sua procura a cascata volta a jorrar ouro novamente.
A alegria de Patinhas dura muito pouco, pois o ouro para de jorrar novamente. Que fenômeno será esse que vai e volta???
Os sobrinhos procuram saber o que está acontecendo e acabam descobrindo que uma piscina de água  quente foi separada do rio e gêiseres embaixo dessa piscina  fazem a água fever e faz com que o ouro jorre cascata abaixo (confesso que não entendi muito bem essa explicação, preciso estudar mais).
Donald e os sobrinhos tem a ideia de usar esse fenômeno da cascata, que está cada vez mais parecido com a história que haviam contado para o velho Patinhas  para poderem finalmente fazer o sovina abrir a carteira e lhes dar aquelas  cinco patacas que eles tanto querem.
O plano é o seguinte: Eles vão controlar a fervura que faz com que o ouro liquido dessa com a água da cascata e também controlarão a repressa provisória que foi feita para esse fim. Usando uma arvore como megafone eles dizem a Patinhas que o ouro do rei do rio não vai ser dado a nenhum egoísta.
Tio Patinhas ao ouvir a voz acredita ainda estar doente e acha que aquela voz incomum pode ser a voz de um gnomo. Patinhas assim mesmo espera que o ouro jorre mais uma vez e isso não aconteçe. E finalmente ele começa a achar que foi egoísta.
Na segunda parte do plano Donald se disfarça de mendigo e espera que o velho tio seja generoso com ele para poder obter o ouro da cascata. Patinhas oferece uma moeda para um cafézinho e Donald disfarçado diz a ele (essa parte é divertida): "Oh, senhor devo dinheiro das aulas de dança e tive que empenhar meus tacos de golfe pra pagar a nova bola de boliche", ao que Patinhas responde: "Você está na pior".
Patinhas pergunta ao falso mendigo de quanto ele precisa, e Donald disfarçado respode que precisa de cinco patacas. Depois de dar o dinheiro ao pseudo mendigo, Patinhas corre até o rio pra ver se está liberado o ouro, mas o que ele recebe é...
Uma porção de rãs que saltaram de uma das pedras que os sobrinhos moveram lá em cima onde nasce a cascata. Patinhas indignado diz que nunca mais vai confiar num gnomo.
Donald vai até os meninos com um saco de sabão e joga na fonte para acelerar a fonte de água quente e os gêiseres. Todos ficam completamente ensaboados com mais uma das mirabolantes ideias malucas de Donald. Enquanto isso lá embaixo no rio...
... Patinhas pensa que a cascata não se deixou enganar e ela sabe que o dinheiro que o velho ato deu pro mendigo não foi uma dádiva e sim... suborno. Nisso os patinhos lembram-se que Donald conseguiu cinco patacas e pedem a ele o dinheiro. Donald procura e percebe que   deixou aquelas cinco patacas no bolso do paletó do mendigo, que se foi com o sabão rio abaixo. Todos desanimados deitam no chão e exclamam: "Parece que a gente mereceu perder desta vez", outro dos sobrinhos responde: "Só resta uma esperança, achar algo pra vender, algo que valha cinco patacas" e resolvem juntar a lenha que está no chão. Assim...
Patinhas se consome em culpa pensando que é um ser sem coração, que não ajudou seus sobrinhos a arranjar um lugar pra brincar, só porque sempre foi um avarento.
Ele avista um dos sobrinhos apanhando lenha. Patinhas vai correndo até Luizinho e diz a ele que não precisa fazer isso pois ele vai dar o dinheiro que eles tanto precisam. Ele diz ainda que vai construir um parque infantil em Patópolis e uma dúzia de clubes. Patinhas pede para o sobrinho largar aquela lenha que o faz lembra o monstrinho que ele foi, e deseja esquecer isso.
Nesse momento Donald grita para o tio olhar para a cascata porque ela está jorrando ouro de novo, e mais ouro que antes. Um dos sobrinhos diz a  ele para correr e encher baldes e panelas. Patinhas responde a ele calmamente que o ouro vai jorrar de novo e de novo e de novo e que vai continuar jorrando enquanto ele fizer parques pra tornar as crianças felizes. Mas Zézinho desperado puxa o tio para o rio dizendo que nada disso: "o ouro sobe à superfície por causa da pressão das fontes de água quente" ele diz ainda: "Vai parar a qualquer hora".
Patinhas calmamente olha para Zézinho e responde: "Fiquem com sua teoria sobre fontes de água quente, eu sei que o ouro é ligado e desligado por um gnomo..."
... um sábio homenzinho com um vozeirão, e ele se chama REI DO RIO DO OURO"
Até breve amigos Disneyanos, até a próxima postagem. Espero que você tenha gostado da história e que esse post estimule você a procurar essa história e le-la integralmente.

Código-da-história: W US 22-02
Título: The Golden River
Herói(s): Tio Patinhas
Páginas: 26
Tipo: 4 tiras por página
Aparições: Huguinho Zezinho e Luisinho, Pato Donald, Tio Patinhas 
Roteiro: Carl Barks
Desenho: Carl Barks
Data da primeira publicação: Jun/1958
Data em que a história foi criada: 21/Nov/1957
No Brasil O Rio de Ouro saiu nas seguintes edições.
O Pato Donald #370 (1958) O Rio De Ouro (parte 1)  #371 O "Rio De Ouro" (parte 2) #372 (parte 3).
Tio Patinhas #47 (1969) O Rio De Ouro
Tio Patinhas #223 (1983) O Rei Do Rio De Ouro
Ducktales, os Caçadores de Aventuras #3 (1988) idem
Almanaque Disney #341 (2001) idem
O Melhor da Disney #13(2005) O Rio De Ouro.

Fonte: O Melhor da Disney #13 e Inducks Brasil.

5 comentários:

Macgaren disse...

Primeiramente..mais um belo post..essa não é das minhas histórias preferidas do Barks, mas é legal.
"Segundamente" Valeu pelo link pro Clarim.. o seu já está lá nos links recomendados à tempos. o/
e Por fim sobre a campanha:já desisti de diversos blogs por achar qu eninguém lia. mas percebi que o pessoal visita, mas nem sempre comenta.Por isso continuo com o Clarim mesmo qdo não tem comentários..é chato..mas sei que em algum lugar tem gente lendo o que escrevo, e como disse,isso já é o importante.
Abraços

Ludy disse...

Obrigado pelo comentário Mac e valeu também or ter meu link no seu blog, eu também já tinha o teu link desde o começo do Universo Disney, e resolvi aprimorar um pouco mais colocando também o logo do teu blog. É total verdade isso que você falou apesar de não haver comentário sempre tem alguém lendo o que escrevemos e por isso a grande responsabilidade que temos em não faltar com a verdade e sermos totalmente éticos em tudo. Um abraço e até a próxima.

Fabiano disse...

OLá! Esta é a terceira vez que leio este post e só agora me vejo na oportunidade comentar. Também não entendi muito a explicação da tal piscina que faz com que os gêiseres joguem a água dela para fora e, assim, ocasionando a apararição do ouro no rio. Talvez seja pelo fato do ouro estar derretido no canal dos gêiseres e aí se dá tal fenÔmeno, mas é preciso ler com calma, quadrinho por quadrinho, para saber se é posível pescar esse entendimento.
Tenha uma boa semana. Abraços.
FabianoCaldeira.

Ludy disse...

Fabianão vamos ter que estudar bem isso. Te confesso que não entendi muito a explicação do Barks. Mas com certeza deve ter uma fundamentação lógica, pois ele pesquisava muito para as suas histórias. Abração.

Anônimo disse...

opa, adorei cara, baixei e ja reli essa maravilhosa saga que li em 1985!! quando eu ainda era moleque heheh, valeu ai por ter postado essa maravilha!!! abraço tudo de bom!!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails