domingo, 9 de outubro de 2011

CarL Barks apresenta: Tio Patinhas em: Os Estranhos Naufrágios

Olá amigo disneyano que acompanha os meus blogs de quadrinhos, tanto esse Universo Disney quanto o UD2. Hoje eu trago aqui pro blog uma das minhas aventuras favoritas do mestre Disney Carl Barks. Prá contar esta história eu tomei como base essa edição (acima) de O Melhor da Disney - As obras Completas de Carl Barks volume #13 de agosto de 2005. Por sinal uma das melhores edições com ótimas histórias, entre elas, "O Poço de Dinheiro", "O Rio de Ouro", "A Lua de Vinte e Quatro Quilates", "O Holandês Voador", e a história que vou comentar hoje, "Os Estranhos Naufrágios".
Essa aventura envolvendo o Tio Patinhas e seus sobrinhos Donald, Huguinho, Zezinho e Luisinho e mais os famigerados irmãos Metralha foi criada por Barks em 31 de dezembro de 1957 e publicada pela primeira vez em setembro de 1958. Aqui abaixo uma introdução desta aventura pelo jornalista Marcelo Alencar.
"Os Estranhos Naufrágios" desembarcou no Brasil pela primeira vez em 22 de maio de 1962 e, O Pato Donald #550. Depois disso talvez foi publicada em março de 1971 na edição de Tio Patinhas #68, cinco anos depois foi publicada novamente em fevereiro de 1976 no Disney Especial #21 Os Piratas. Voltou às bancas mais uma vez lá nos anos 80, no Disney Especial #19 Os Piratas (reedição) de dezembro de 1983. Dez anos se passaram e essa aventura voltou a ser republicada, desta vez em março de 1993 no Disney Super Especial #19 Os Piratas. Sim a migo disneyano mais dez anos tiveram que ser esperados e em agosto de 2003 "Os Estranhos Naufrágios" voltou pras bancas na edição difícil de ser encontrada do Tio Patinhas #457 de agosto de 2003. Finalmente apenas exatos dois anos depois em agosto de 2005 voltou a ser republicada pela última vez na edição que uso como base para o meu post de hoje, O Melhor da Disney - As Obras Completas de Carl Barks volume #13.
Tudo começa com Donald "implorando" ao seu velho tio Patinhas, uma oportunidade de emprego, pois parece que agora o Donald estava preparado, pois havia feito um "super curso" de detetive por correspondência. Mas o velho muquirana conhece bem o pato Donald e sabe que mais cedo ou mais tarde o sobrinho "alopradão" vai aprontar alguma. 
Ao chegar ao escritório Patinhas recebe notícias nada agradáveis sobre o destino de mais um dos seu navios que acabou naufragando no "Estreito do Desatino". Em apenas três semanas quatro navios cheios de ouro naufragaram e todo o ouro desapareceu.
Donald pede mais uma vez ao tio para lhe dar uma chance pois ele sendo um "detetive" (por correspondência), está apto a solucionar o caso. Patinhas argumenta que não precisa de um detetive pois tem o mais sabido, mais valente e mais corajoso de todos os detetives. Nisso o tal detetive e o capitão de um de seus navios irrompem no escritório e, convenhamos (não parecem nenhum pouco corajosos!)
Tio Patinhas então resolve dar uma chance ao Donald, mas aí é o Donald que faz sua cena e foge pela janela com medo de enfrentar a situação que está colocando todos os marinheiros pra correr. 
Depois de tudo resolvido com o Donald. Patinhas embarca os sobrinhos em um de seus cargueiros cheios de ouro para o Estreito do Desatino e ele e Luisinho vão de avião (hidroavião) até o local do último naufrágio fazer algumas investigações por conta própria pra saber o que realmente está acontecendo. Eles descobrem que o cofre do navio onde estava o ouro foi explodido assim como aconteceu com os outros três navios. O que eles querem saber agora é quem são os saqueadores que agem tão rápido naquele local.
Patinhas e Luisinho encontram um faroleiro local e resolvem perguntar a ele o que tem assustado a tripulação. O homem fala sobre fantasmas, mas Luisinho começa a desconfiar do homem do farol.
Luisinho faz algumas investigações e cada vez mais mais desconfiando daquela turma de faroleiros. Encontra na despensa da cozinha do local, enormes barras de chocolate e quando realmente chega perto e toca no material percebe que é pesado e apenas pintado, sim aquilo é ouro, Luisinho na pressa de sair dali e assustado deixa uma daquelas pesadas barras cair no chão e racha o piso da cozinha. Quando Patinhas está resolvido a ir embora o sobrinho lhe diz ao ouvido o que viu na despensa. Ao tentarem fugir um dos ajudantes vai até a despensa e percebe que a barra foi mexida  e que alguma coisa estranha está acontecendo e toca o alarme para alertar os outros ajudantes do faroleiro. O que se vê a partir dai é uma briga das mais acirradas entre Patinhas e o sobrinho contra os... sim os Metralhas disfarçados.
Parece que nesse caso o Donald, Huguinho e Zezinho são a última esperança de Patinhas e Luisinho. Donald e os sobrinhos estão num dos navios observando tudo e todos. Os meninos sempre muito espertos percebem que um dos marujos age muito estranhamente tentando colocar medo na tripulação falando sobre o fantasma do velho Malatesta. Os meninos avisam ao seu tio Donald do marinheiro barbudo e falastrão (sim um dos Metralhas disfarçado). Nisso o navio em que está Donald e os meninos está próximo ao farol do recife Malatesta. Huguinho e Zezinho desconfiam que algo está muito errado pois haviam combinado com Luisinho que faria sinal com uma lanterna das pedras próximas ao farol. Enquanto isso Donald começa a ser a sombra do marujo/Metralha, que também já percebeu a situação...


Todos se atiram ao mar menos o Metralha disfarçado de marujo, que pretende arremessar o S.S Patacão (esse é o nome do navio) em direção as pedras e salvar ou surrupiar a carga preciosa ou seja o ouro. Enquanto isso Huguinho e Zezinho chegam de bote ao farol e percebem a movimentação dos Metralhas indo em direção ao navio que um dos irmãos Metralhas atirou contra as rochas do estreito.
Os Meninos salvam então Patinhas e Luisinho que estão amarrados. Os sobrinhos telegrafam para a Guarda Costeira enquanto Patinhas rema em direção aos destroços.
Os Meninos usam o mesmo artificio dos Metralhas e avisam a Guarda Costeira com uma enorme seta fixada na luz do farol dando a exata localização de onde estão os Metralhas.
Donald descobre que aquele navio fantasma não passa se uma armação cheia de ar e o pirata no mastro é um boneco. Como é típico do Donald ele diz...

A história termina com todos se atirando do navio e gritando: Salve-se quem puder! enquanto Donald no último quadrinho com uma cara surpresa e segurando o boneco diz: Dá pra entender? Eu só querida dizer a eles que já resolvi o caso! Fim

É uma aventura divertida, com mistério, situações de perigo, lances de heroísmo principalmente dos meninos. Os Metralhas estão cínicos, malvados, espertos, coisa que atualmente em histórias envolvendo o bando não acontece mais, hoje em dia eles são uma turma de palhaços travestidos de bandidos, mas nas mãos do Barks eles eram bem malvadões. O Tio Patinhas continua sendo um pato corajoso e sagaz quando se trata de dinheiro, principalmente do dinheiro dele. E o Donald, bom o Donald é sempre ele mesmo!!!
Bom amigos disneyanos eu trouxe hoje uma das aventuras bacanas do Carl Barks, eu havia lido no Tio Patinhas #68 depois reli em 2005 quando foi publicada pela última vez em O Melhor da Disney #13, e agora reli para fazer essa postagem.
Abração e até a próxima.

Fonte: Volume #13 de O Melhor da Disney coleção de Ludy, autor dos blogs Universo Disney 1 e 2 e inducks.

2 comentários:

FabianoCaldeira. disse...

Emocionante.

Xracer disse...

Fantástica estória... e quando lemos ela quando criança se torna algo mágico e divertido !

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails